Agência piora avaliação de risco de oito bancos brasileiros

A agência de avaliação de risco Moody´s rebaixou o rating (nota) de oito grandes bancos brasileiros. O motivo foi o nível de exposição dessas instituições à dívida pública.

Os bancos afetados foram Banco do Brasil, Safra, Santander Brasil, HSBC Brasil, Bradesco, Itaú, Itaú-BBA e Votorantim.

Os especialistas da Moody´s argumentam no relatório que a revisão levou em conta "a extensão da dependência de seus negócios da conjuntura doméstica e financeira (...) e a sua exposição direta ou indireta à dívida soberana doméstica, comparada com suas bases de capital".

"Nossa avaliação aponta que há pouca, se não quaisquer razões para acreditar que esses bancos ficariam isolados de uma crise de dívida governamental", avaliam os analistas da Moody´s.

De certa forma, a agência minimiza o rebaixamento ao apontar que trata-se de um ajuste das notas desses bancos ao rating do Brasil.

A nota de classificação de risco de uma empresa ou país é uma avaliação sobre a capacidade desses agentes saldarem seus compromissos financeiros.

A Moody´s avalia o país como "Baa2", enquanto alguns dos bancos eram classificados como "A1" ou "A2", que são notas superiores na escala dessa agência.

SANTANDER

O presidente do Santander no Brasil, Marcial Portela, disse que a redução na nota dos bancos é um ajuste técnico na metodologia usada pela agência.

"É uma mudanca técnica, não tem nenhuma importância", afirmou hoje Portela, durante evento promovido pelo Santander na cidade homônima espanhola.

CRISE EUROPEIA

Embora não mencionada no relatório, a crise europeia é a questão implícita no relatório da Moody´s.

Os bancos europeus estão fortemente carregados com títulos de dívida emitidos pelos governos do Velho Continente.

A crise recente, que expôs a fragilidade financeira de alguns países, também colocou em risco várias instituições financeiras, obrigando inclusive o banco central do bloco europeu (o BCE) a emprestar recursos a juros quase zero para evitar um cenário ainda pior.

Os bancos brasileiros, assim como seus equivalentes europeus, também possuem uma grande parte de seu capital aplicado em títulos emitidos pelo governo.

Embora o Brasil esteja numa situação econômica bem mais confortável que os países da Europa, a Moody´s levou em conta o risco de uma piora na condição financeira dos bancos caso essa situação fiscal soberana deteriore.

Colaborou PAULO MUZZOLON, enviado especial a Santander (Espanha) 

Fonte: Folha de São Paulo

Link: http://www1.folha.uol.com.br/mercado/1111843-agencia-piora-avaliacao-de-risco-de-oito-bancos-brasileiros.shtml

Somente usuários registrados podem deixar comentários.